Diagnóstico e prevenção da osteoporose? Parte 02 de 02

O diagnóstico da osteoporose é feito pela medida da densidade óssea, através do exame da Densitometria Óssea. Possuem maior risco para desenvolver osteoporose as mulheres, indivíduos de raça branca, pessoas magrinhas e pequenas, as mulheres que tiveram menopausa precoce e não fizeram reposição hormonal, os fumantes, e aquelas pessoas que possuem história de fraturas na família, e tambem as que possuem doenças graves ou que utilizam corticoides por longo tempo.

O exame de de Densitometria Óssea está indicado para todas as mulheres a partir de 65 anos e para todos homens com 70 anos ou mais. Além disto, todas mulheres menopausadas e todos homens com mais de 50 anos, que possuam um dos fatores de risco, devem realizar o exame para avaliar a presença da osteoporose.

A prevenção da osteoporose deve se iniciar na infância, através de uma alimentação saudável, com boa quantidade de alimentos ricos em cálcio, especialmente presente no leite seus derivados e nas verduras escuras.

Ter uma alimentação rica em cálcio é essencial para deixar os ossos fortes e saudáveis.

Por exemplo um copo de leite de 200ml – seja integral ou desnatado – possui cerca de 200mg a 300mg desse nutriente. Os queijos também são boas fontes de vitaminas. No entanto, não é necessário restringir-se apenas aos laticínios.

Temos vários outros alimentos como a sardinha, couve cozida, brócolis e o ovo que são ricos em cálcio.

Mas, qual a quantidade diária? Isso depende do sexo, da faixa etária e das condições de saúde das pessoas. Crianças entre 1 a 8 anos de idade devem ingerir entre 500mg e 800mg de cálcio; adultos entre 1000mg e 1200mg; e, por fim, adolescentes, gestantes e pessoas acima de 50 anos devem consumir entre 1200mg e 1500mg.

Para que esse nutriente possa ser absorvido e utilizado pelo organismo, as atividades físicas precisam fazer parte da sua rotina. Manter o corpo em movimento ajuda não apenas na prevenção da osteoporose, mas também atua no tratamento.

A contração muscular e a descarga de peso do corpo estimulam a formação, crescimento e manutenção do tecido ósseo.

As melhores opções são a caminhada e a musculação. O ideal é praticá-las por 30 minutos e, no mínimo, 5 vezes por semana. O pilates, também traz benefícios.

Em alguns exercícios oferecidos, a pessoa terá de suportar o próprio peso corporal e poderá trabalhar equilíbrio e força. Isso faz com que o cálcio seja estimulado e fixado no tecido ósseo. Contudo, a execução deve ser acompanhada de um profissional qualificado para evitar lesões e até mesmo fraturas.

Como mais uma forma de prevenção, outra atitude prática e indolor é tomar sol, o ideal é de 15 a 20 minutos diariamente. Ficar exposto aos raios solares faz com que a vitamina D seja ativada e o cálcio seja absorvido pelo organismo.

Quando não temos níveis adequados de vitamina D, há um aumento do hormônio PTH pela paratireoide e, com isso, ocorre maior perda de massa óssea e, consequentemente, aumento da fragilidade óssea.

Siga minhas Redes Sociais:

https://www.instagram.com/drthanguy/
https://www.facebook.com/DrThanguyFrico/

Dr. Thanguy Friço
⚕ Ortopedista e Cirurgião Coluna
🎯Professor UVV Pós Graduação
🔮 Programa Lifestyle
Tel 995000303 ou 30727421
📞Agendamento de Consulta no link: bit.ly/2A9PFut